23 de abril de 2021

No dia da Caatinga: Organização Social Patac lançará projeto para o Semiárido paraibano com o patrocínio da Petrobras

 No dia em que se comemora o dia Nacional da Caatinga, 28 de abril, o Patac e o Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar lançarão o projeto: ‘Florestando o Semiárido: Agricultura Familiar Guardiã da Caatinga’. O evento acontecerá de forma remota, através da plataforma Zoom, a partir das 15h.


A atividade será realizada em um clima de muita alegria com a participação das famílias agricultoras, equipe Patac, lideranças do Coletivo, organizações parceiras, representantes de escolas e gestores públicos. Terá também apresentações culturais em forma de poesias e músicas, celebrando toda a diversidade que envolve esse Bioma tão rico e cheio de mistérios.

O link de acesso ao evento será: https://is.gd/lancamentoflorestandosemiarido, também vamos contar com a transmissão simultânea através das redes sociais Facebook: https://www.facebook.com/Florestando-o-Semi%C3%A1rido-102119021464381  e pelo Canal do YouTube da Articulação do Semiárido Paraibano (Asa Paraíba):  https://www.youtube.com/channel/UCRHmI9vshpMF2TIegKJJtdg

 

Sobre o projeto - Tendo o Semiárido paraibano e o Bioma Caatinga como cenários, o projeto está voltado para a agricultura familiar camponesa, na perspectiva agroecológica,  priorizando ações com mulheres agricultoras, crianças e adolescentes de escolas da região. 


As principais ações - Recuperação de 85 hectares de áreas degradadas, através da implantação de Sistemas Agroflorestais (Saf’s), multiplicação de campos de espécies forrageiras e de sementes crioulas; Formação para 350 participantes diretos e cerca 500 participantes eventuais sobre manejo sustentável das propriedades; Promoção de iniciativas para reverter processos de degradação do solo, preservar cursos d’água, através de implementações de inovações sustentáveis de manejo do solo (30 barragens de base zero) e de 80 sistemas de tratamento e reuso da água para a produção de alimentos; Fomentar o debate sobre a equidade de gênero e autonomia das mulheres/enfrentamento à violência doméstica/divisão sexual do trabalho; Formação de 160 crianças e adolescentes de escolas rurais de ensino fundamental, através de atividades relacionadas à educação ambiental.

Contará com o patrocínio da Petrobras e terá duração de dois anos. Sua abrangência territorial será em 12 municípios do Estado da Paraíba, que fazem parte do território do ator social Coletivo, sendo esses: Boa Vista, Cubati, Gurjão, Juazeirinho, Olivedos, Pedra Lavrada, Pocinhos, Santo André, São João do Cariri, São Vicente do Seridó, Soledade e Tenório, localizados na Região Semiárida, nas microrregiões do Cariri, Seridó e Curimataú.

18 de fevereiro de 2021

Projeto do Patac e Petrobras desencadeia processo de formação sobre reflorestamento da Caatinga

O “Florestando o Semiárido: Agricultura Familiar Guardiã da Caatinga” se fundamenta em processos de formação técnica e socioambiental na perspectiva da valorização e construção coletiva do conhecimento, valorizando os saberes e as capacidades das agricultoras e agricultores, bem como da conservação e aproveitamento dos recursos da natureza localmente disponíveis, como forças impulsionadoras das iniciativas para a promoção do florestamento e da agroecologia no Semiárido. 

Sendo assim, os processos de formação e de inovação serão desenvolvidos com base técnica-metodológica, que assegure o diálogo entre a sabedoria popular da agricultura camponesa e o saber acadêmico da equipe técnica em direção a construção coletiva do conhecimento.

As ações preveem a recuperação de 85 hectares de áreas degradadas, por meio do enriquecimento e da manutenção da cobertura vegetação nativa em áreas produtivas e/ou de áreas de reserva legal, da estruturação de agroflorestas, de campos de multiplicação de sementes crioulas e de forragem consorciada com plantas da Caatinga; A formação de 350 participantes diretos e cerca 500 participantes eventuais, sobre manejo sustentável dos agroecossistemas, valorizando as agricultoras e os agricultores como guardiãs e guardiões da Caatinga e da biodiversidade local, visando a sustentabilidade ambiental e a produção de alimentos diversificados e saudáveis; A promoção de iniciativas para reverter processos de degradação do solo, preservar cursos d’água, através da implementação de inovações sustentáveis de manejo do solo (30 barragens de base zero) e de 80 sistemas de tratamento e reuso da água para a produção; A fomentar o debate sobre a equidade de gênero e autonomia das mulheres, destacando o seu papel na produção de alimentos saudáveis, no uso e conservação da Caatinga e das sementes crioulas, bem como divulgando a Campanha pela Justa Divisão do Trabalho Doméstico.

 E por fim, a formação de 160 crianças e adolescentes de escolas rurais de ensino fundamental através de atividades relacionadas à educação ambiental, que orientem atitudes e práticas de respeito à natureza e de convivência com a região semiárida, por meio de um o processo de aprendizagem que as crianças compreendam e conheçam de forma lúdica, boas práticas de adaptação e mitigação dos efeitos do clima, com foco no uso sustentável e conservação das sementes nativas e dos recursos florestais da Caatinga.

O projeto será realizado pela entidade de assessoria -  Patac, no território do Cariri paraibano e conta com o patrocínio da Petrobras. 

12 de fevereiro de 2021

Atividade marca início de recuperação de áreas degradadas no território do Cariri paraibano

O projeto ‘Florestando o Semiárido: Agricultura Familiar Guardião da Caatinga’, que está sendo executado pelo Patac com patrocínio da Petrobras, prevê em sua realização a recuperação de 85 hectares de áreas degradadas, por meio do enriquecimento e da manutenção da cobertura vegetal nativa em áreas produtivas e/ou de áreas de reserva legal, estruturação de agroflorestas, de campos de multiplicação de sementes crioulas e de forragem consorciada com plantas da Caatinga.

No último dia 12 de fevereiro foi realizado no Assentamento São Domingos de Cubatí-PB, mais precisamente na propriedade da família agricultora de  Quitéria e Antonio, um mutirão para o raleamento da Caatinga com o objetivo de produzir forragem.

Essa atividade, marca o início de muitas outras nessa perspectiva de recuperação de áreas degradadas e preservação do Bioma Caatinga.

10 de fevereiro de 2021

Patac lançará projeto para o Semiárido com patrocínio da Petrobras

 O projeto “Florestando o Semiárido: Agricultura Familiar Guardiã da Caatinga” será realizado pelo PATAC em parceria com o Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar, com o patrocínio da Petrobras e terá duração de 2 anos. Sua abrangência territorial será em 12 municípios do Estado da Paraíba: Boa Vista, Cubati, Gurjão, Juazeirinho, Olivedos, Pedra Lavrada, Pocinhos, Santo André, São João do Cariri, São Vicente do Seridó, Soledade e Tenório, localizados na Região Semiárida, nas microrregiões do Cariri, Seridó e Curimataú.

Tendo o Semiárido paraibano e o Bioma Caatinga  como cenário, o projeto está voltado para a agricultura familiar  camponesa, priorizando ações com mulheres agricultoras, crianças e adolescentes de escolas da região. Sua linha prioritária de atuação é de Florestas e Climas, associada às temáticas biodiversidade e água. Os processos de formação relacionados a crianças e adolescentes, se darão na perspectiva da educação socioambiental.

O projeto tem como objetivo promover a conservação e uso sustentável do Bioma Caatinga, assegurando equidade de gênero, enfrentando os efeitos das mudanças climáticas, melhorando as condições de vida das famílias agricultoras, focando no manejo sustentável da biodiversidade, da água e do solo.

25 de setembro de 2020

Articulação do Semiárido lança campanha ‘Não Troque seu Voto’ para estimular o voto consciente

Nas sete semanas que antecedem o 15 de novembro, dia das eleições, a Articulação Semiárido (ASA) lança uma campanha para estimular o voto consciente. A campanha "Não troque seu voto" é  direcionada, especialmente, para as famílias que experimentaram a inclusão social através de um conjunto de políticas e programas públicos voltadas para a agricultura familiar e para o fortalecimento do paradigma da convivência com o Semiárido.

O lançamento da campanha será no dia 29 deste mês, às 17h, pelo canal do Youtube e facebook da ASA Brasil. As peças da campanha, que irão circular nas redes sociais e nas rádios dos territórios do Semiárido, estimulam as pessoas a conhecer as propostas dos/as candidatas para a agricultura familiar e para o fortalecimento da agroecologia e da convivência com o Semiárido na região.

"É importante que possamos votar naqueles candidatos e candidatas que têm verdadeiramente um compromisso de quatro anos com a população do seu município, com as comunidades camponesas e urbanas, e que defendam bandeiras importantes para a convivência com o Semiárido, para a construção da verdadeira cidadania", defende o agricultor agroecológico do sertão do Araripe em Pernambuco, Vilmar Lermen, do sítio dos Paus Dóias, na zona rural de Exú, terra de Luiz Gonzaga.

Pandemia - Ao aprofundar ainda mais as desigualdades sociais do Brasil, aumentando a pobreza, miséria e fome em todo o país, a pandemia também ameaça reforçar a velha e corrompida prática da compra de votos. Principalmente, porque a pandemia chega num momento em que a vida fica mais dura pela perda dos direitos trabalhistas, previdenciários e sem políticas, programas e ações públicos que amparavam a produção e comercialização de alimentos saudáveis. 

Para Glória Batista, da coordenação executiva nacional da ASA e da coordenação da ASA Paraíba, enumera os muitos significados das 1 milhão e 300 mil cisternas para as famílias camponesas  do Semiárido Brasileiro.

"Significa a conquista pelo direito à vida, expresso nas conquistas pelo acesso à água de qualidade e na valorização das sementes do Semiárido. Significa o direito humano à alimentação de verdade, tanto para o autoconsumo das famílias camponesas, quanto para a comercialização nas comunidades rurais e feiras agroecológicas que vem se espalhando por vários municípios do Semiárido e a valorização e reconhecimento do expressivo papel das mulheres camponesas na promoção da Agroecologia e convivência com o Semiárido."

Ela ainda afirma que, todas estas mudanças - proporcionadas pelo acesso às políticas públicas - potencializam a força, autonomia e capacidade das famílias agricultoras camponesas e de suas organizações. E, desta forma, se fortalece o projeto popular e democrático, defensor da agricultura familiar, a convivência e a Agroecologia nos municípios do Semiárido. "Este projeto só concretiza se a gente lutar por ele. É fundamental a campanha "Não troque seu voto" e o voto consciente nas eleições municipais, como também a pressão e luta popular durante os próximos quatro anos da gestão dos municípios".



8 de setembro de 2020

Organizações realizam 2ª etapa de entrega de cestas a famílias vulneráveis, em tempos de pandemia

 


O Patac realizou no último dia 04 de setembro, a 2ª entrega das cestas agroecológicas as famílias em situação de vulnerabilidade, em período de pandemia da Covid-19,  no território do Coletivo Regional das Famílias Agricultoras.

Somando as duas entregas, tendo sido a 1ª no dia 16 de julho, foram compradas 64 toneladas de alimentos produzidos pelas mãos das famílias agricultoras, de quatro redes de comercialização de organizações da agricultura familiar do Cariri, Curimataú, Seridó, Brejo e Agreste do estado da Paraíba.

Juntando as duas etapas, foram entregues um total de 2 mil cestas contendo alimentos básicos (feijão, arroz e farinha) mais frutas, polpas, raízes, hortaliças e bolos. Além, de um kit de limpeza, contendo água sanitária e sabão em barra. Amenizando assim, a situação de muitas pessoas que vivem em comunidades rurais e periurbanas dessa região da Paraíba.


A ação que faz parte da campanha de assistência social e saúde, em combate a Covid-19, e adotada pela Fundação Banco do Brasil (FBB), juntamente com o BBSeguros, BancoBV, COOPERFORTE e Banco do Brasil, tem como lema:  “Proteja e salve vidas!”

 Acesse, doe e compartilhe: coronavirus.fbb.org.br

 

 

 

21 de agosto de 2020

Patac e Coletivo participam de eventos virtuais em Rede

 

Nesta última quinta-feira, dia 20, o Patac e o Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar tiveram representações de vários temas, participando de eventos em Redes de Articulação da Agroecologia, realizados de forma remota.

Logo no início da manhã, aconteceu uma formação da Rede Sementes da ASA Paraíba, que tratou do seguinte tema: “Incidência Política nos Programas Públicos de Distribuição de Sementes Crioulas”. O principal objetivo foi refletir sobre os avanços, desafios e oportunidades relacionadas ao acesso às políticas públicas de Sementes Crioulas.

Raquel Nunes, técnica do Patac e representante da Rede Sementes da ASA Paraíba participou da atividade junto a outros nomes, como: Naiara Bitencourt do GT Biodiversidade da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), Marcírio Lemos da Asa Rio G. do Norte, Sílvio Porto, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano – UFRBA e Alessandro Nunes da Secretaria de Desenvolvimento Rural de Agricultura Familiar do Rio G. do Norte.

Um amplo diálogo tratou do acesso as políticas públicas para compra e distribuição de sementes crioulas por parte dos governos estaduais de forma permanente e dos cuidados em torno da conservação das espécies e suas especificidades. O evento foi realizado na plataforma Zoom e transmitido pelas Redes Sociais da ASA Paraíba tendo cerca de 100 envolvimentos de expectadores virtuais.


Mais dois momentos foram realizados na parte da tarde, um em parceria com o Instituto Nacional do Semiárido que tratou da ‘Criação de Aves na Agricultura Familiar Agroecológica’ trazendo o recorte da autonomia das mulheres guardiãs da agrobiodiversidade e soberania alimentar no campo e na cidade. A agricultora do Coletivo, Geane Arruda, apresentou sua experiência enquanto guardiã das galinhas de capoeira. Essa live foi moderada por, Glória Batista, coordenadora institucional do Patac e membro da Coordenação Executiva da ASA Paraíba e ASA Brasil. No canal do INSA pelo Youtube, cerca de 150 pessoas participaram desse debate.

Por fim, a jovem Gabriela Elias, da comundade tradicional de terreiro, Ylê Asé de Oxalá, da localidade,Malhadinha, de Boa Vista, representou o GT de Juventude da ASA Paraíba na live do GT de Juventudes da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) que teve como tema: “Saúde, meio ambiente e sustentabilidade, quais são os nossos direitos”. Ela destacou na sua fala, como os territórios têm se valido dos conhecimentos tradicionais do uso das ervas medicinais em tempos de pandemia.

Um número expressivo de 640 visualizações pelo Facebook foi registrado.


No dia da Caatinga: Organização Social Patac lançará projeto para o Semiárido paraibano com o patrocínio da Petrobras

  No dia em que se comemora o dia Nacional da Caatinga, 28 de abril, o Patac e o Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar ...