31 de maio de 2011

Experiência da ASA Brasil é referência em Workshop na Paraíba

Patrícia Ribeiro - comunicadora popular da ASA
Campina Grande - PB
31/05/2011

Importantes experiências de convivência com o meio ambiente nas regiões áridas e semiáridas de países Árabes e da América do Sul, foram apresentadas nos dias 25, 26 e 27 de maio, em Campina Grande-PB. O workshop “Tecnologias de Convivência em Regiões Áridas e Semiáridas”, organizado pelo INSA – Instituto Nacional do Semiárido, juntamente com o Ministério da Ciência e Tecnologia, teve como principal objetivo promover o intercâmbio científico e tecnológico de alternativas de convivência com os desafios enfrentados nestas regiões.

Uma das experiências que despertou maior interesse e curiosidade nos participantes do evento foi a desenvolvida pela Articulação do Semiárido (ASA). José Camelo da Rocha, coordenador do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) pela Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (ASPTA), falou sobre os desafios enfrentados pelas famílias agricultoras da região do Semiárido paraibano. “A partir da sistematização das experiências das famílias conseguimos desenvolver um trabalho que ultrapassa as etapas de desenvolvimento das tecnologias e infraestruturas. Desenvolvemos um processo de formação junto às famílias, no sentido de conscientizá-las para a construção de um modelo de desenvolvimento em convivência com o semiárido, que possibilite melhores condições de vida para as famílias agricultoras e para o planeta”.

Camelo apresentou as experiências desenvolvidas através do Programa P1+2, ressaltando a importância do programa na mobilização da sociedade civil e das organizações sociais que enfrentaram os desafios da convivência com as características particulares da região semiárida do Brasil. Sendo um dos principais desafios enfrentados a necessidade de desmistificar as ideias de combate à seca, disseminadas por empresas e empreendimentos do atual sistema de desenvolvimento econômico.

Representantes de países da América Latina, como Argentina e Chile, demostraram bastante interesse e, ao mesmo tempo, valorizaram em inúmeros momentos a experiência da ASA, afirmando que, em relação às demais experiências apresentadas, esta é que possui o maior nível de articulação entre a sociedade civil e as políticas públicas.

Além da Argentina, Chile e Brasil, estiveram presentes representantes da Jordânia, Tunísia, Síria, Arábia Saudita, Egito e Peru. Além destes, mais outros 25 países integram a Cúpula América do Sul-Países Árabes (ASPA). Este mecanismo de cooperação biregional foi criado no ano de 2005, em Brasília (DF), e se constitui atualmente como um fórum de coordenação política, com objetivo de fortalecer as relações entre estas duas regiões e ser, ao mesmo tempo, um espaço de discussão política sobre os temas prioritários comuns aos países.

Nenhum comentário:

Postar um comentário