11 de junho de 2019

Ato público, diversidade cultural e Carta Política caracterizaram o encerramento da 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão



De forma festiva e através de diversas expressões populares (Ato Público, apresentações culturais e reflexões políticas) a 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão foi encerrada na tarde da sexta-feira (07), no município de Soledade-PB, Cariri Paraibano com a presença de mais 1.200 pessoas. Com o tema “Comunidades Guardiãs: Protegendo a Biodiversidade e Garantindo Alimentação Saudável” o evento foi realizado na região do Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar, território de atuação da entidade de assessoria à Agricultura Familiar de base agroecológica - Patac.  As duas organizações integram a Articulação do Semiárido Paraibano (ASA Paraíba).

A atividade começou na quarta-feira, dia 05 e se estendeu até a sexta, 07, reunindo centenas de agricultoras e agricultores familiares em mesas de diálogo, oficinas temáticas, feira de sabores e saberes e atividades culturais.

O marco final e culminância do evento se deu  na sexta - feira (07), quando um grande ato público foi realizado nas ruas de Soledade, onde os participantes do evento, puderam caminhar e dialogar com o público urbano sobre as lutas enfrentadas em relação as Sementes  da Paixão e  a contaminação por transgênicos nos territórios e também sobre as questões da atual conjuntura política, as perdas de direitos através da reforma previdência, os cortes na educação e as questões de gênero.


Um toré puxado pelos representantes dos povos indígenas das tribos paraibanas Potiguara e Tabajara, representados pelos caciques Jessé Potiguara e Paulo Tabajara, trouxe a luta e a resistência dos diversos povos do Semiárido como algo sagrado, o toré foi dançado pelos participantes do ato. Em seguida, o GT de Juventude da ASA Paraíba realizou uma intervenção, uma grande faixa foi estendida no meio do povo, onde estavam o mapa da Paraíba e a frase “Paraíba livre de transgênicos e Agrotóxicos”, a frase foi puxada como grito de ordem até o encerramento do ato no Clube recreativo, local da festa.

No retorno à plenária final, foi realizado o lançamento estadual da Campanha “Não Planto Transgênicos para Não Apagar a Minha História”. Criada pelo Polo da Borborema, uma das dinâmicas microrregionais que integram a ASA na Paraíba, a Campanha entra em uma nova fase em âmbito estadual e pretende esclarecer as famílias agricultoras sobre como evitar a contaminação de suas sementes, principalmente as de milho, que devido a polinização aberta, é de fácil contaminação, bem como divulgar os riscos que os transgênicos trazem não só para a saúde humana, mas também para a erosão genética da biodiversidade. Após o ato de lançamento, foi oferecida a degustação de uma variedade de alimentos produzidos com milho NÃO transgênico, como broas, bolos e biscoitos, que já pode ser encontrado nas feiras agroecológicas na forma de farelo, cuscuz, mungunzá e xerém.

Na plenária final, como encaminhamento político foi lida a Carta Política do evento diante de uma mesa de representantes do Governo do Estado, da Secretaria Estadual de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, da Secretaria Estadual Executiva de Segurança Alimentar e Economia Solidária, da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da Assembleia Legislativa, de representantes da Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA Brasil,  do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) - PB, e na presença dos representantes dos povos tradicionais,  o documento afirma que: “Comunidades guardiãs são as verdadeiras trincheiras de luta e de afirmação do papel histórico exercido por agricultoras a agricultores na defesa e proteção dos recursos da biodiversidade, da água e da terra”. O documento continua: “Afirmamos que esses recursos são bens comuns que, manejados e conservados pelas mãos das comunidades, se convertem na produção de alimentos fartos, seguros, diversificados e saudáveis”.


Naidson Quintela, da Coordenação Nacional da ASA Brasil, em sua fala, lembrou os 15 anos de trajetória das Festas das Sementes da Paixão na Paraíba e falou sobre a conjuntura política atual: “A última eleição na Paraíba foi de resistência, vocês escolheram aqui os representantes que vão garantir a vida e não a morte”, disse se referindo ao Governo Federal atual que liberou em seis meses quase 200 novos agrotóxicos no país e continuou: “O recado que a ASA Brasil tem para dar aqui hoje é, não abram mão, continuem brigando, celebrando, festejando e guardando sementes. O governo estadual que vocês elegeram tem a obrigação de dar suporte a esse trabalho, assim como o governo da Bahia que instituiu uma política estadual de agroecologia”.

Durante a Festa, foram realizados gratuitamente testes de transgênia adquiridos pela organização do evento. Os testes funcionam de forma semelhante a um teste de gravidez, com tiras sensíveis à sete tipos de proteínas transgênicas. Para aqueles que tinham seus testes com resultado negativo para a contaminação, era entregue um certificado de Livre de Transgênicos. Maria das Dores Medeiros, do Sítio Capoeiras, em Cubati-PB, conta do alívio que sentiu ao descobrir que havia conseguido recuperar suas sementes: “Fizemos o teste aqui e deu negativo, essa era uma semente que já havia dado contaminada, mas através do banco de sementes, a gente conseguiu recuperar e manter livre da contaminação, então eu fiquei muito feliz e aliviada de ter de volta meu milho da paixão”.

A Rede de Sementes da ASA Paraíba promove há 15 anos as festas, com um intervalo de dois anos entre uma edição e outra. As festas cumprem o duplo papel de celebrar o trabalho das centenas de guardiãs e guardiões das sementes e de denunciar as ameaças à preservação deste patrimônio genético e cultural da humanidade.


27 de maio de 2019

Município de Soledade-PB sediará 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão



Com o tema “Comunidades guardiãs: protegendo a biodiversidade e garantindo alimentação saudável”, acontecerá no município de Soledade, no Cariri Paraibano, de 5 a 7 de junho, a oitava edição da “Festa Estadual das Sementes da Paixão”. A Festa, que acontece a cada dois anos, é uma iniciativa da Articulação do Semiárido Paraibano – ASA Paraíba, uma rede de organizações não governamentais, sindicatos e associações de promoção da agricultura familiar agroecológica. A ASA Paraíba integra a Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA Brasil que está organizada também nos outros nove estados do Semiárido: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Minas Gerais.


O local do evento será o Clube Recreativo de Soledade, localizado à Rua Prefeito Inácio Claudino, nº 180, Centro. A programação terá uma feira de produtos agroecológicos e sementes aberta ao público nos três dias de evento. No primeiro e segundo dias, haverá uma formação voltadas para 200 agricultores vindos das sete microrregiões onde a ASA Paraíba atua (Cariri Oriental e Ocidental, Seridó, Agreste, Curimataú, Média Sertão, Alto Sertão e Borborema).



No segundo dia de evento, os participantes irão se dividir em 5 oficinas simultâneas, parte delas acontecerá nas comunidades rurais da região. Já no último dia de evento, 07 de junho, haverá ato público e uma caminhada pelas ruas centrais da cidade com a presença de cerca de mil pessoas.


A Festa Estadual tem como principais objetivos fortalecer o intercâmbio de experiências entre as famílias na gestão e conservação sementes e refletir sobre o avanço dos transgênicos no estado da Paraíba, suas ameaças para a conservação das sementes crioulas, bem como definir estratégias de enfrentamento. Outro objetivo é construir propostas para subsidiar a formulação de políticas públicas de sementes no Estado da Paraíba.

Sementes da Paixão - “Sementes da Paixão” é o termo pelo qual ficaram conhecidas na Paraíba as sementes nativas, ou crioulas, adaptadas às condições climáticas e ambientais locais. Estas sementes constituem em um patrimônio genético selecionado e preservado por famílias agricultoras há várias gerações, os “guardiões e guardiãs”. Elas são armazenadas em silos, tonéis ou garrafas pet em bancos de sementes comunitários ou familiares espalhados pelo estado como uma estratégia para se ter a semente sadia e segura no momento certo de plantar, garantindo autonomia e segurança alimentar para os agricultores. O nome veio da "paixão" que os agricultores tem pela sua semente.


Programação:


05 de junho, quarta-feira:



19h - Abertura Oficial da Festa Estadual das Sementes da Paixão e Feira e Feira de Sabores e Saberes



06 de agosto, quinta-feira:



8h - Plenária: Reafirmação das lutas, conquistas e perspectivas para produção de sementes crioulas na Paraíba
1. Atualização do avanço dos transgênicos e sugestões de enfrentamento (GT Biodiversidade ANA);
2. Papel das pesquisas e as sementes da paixão (Embrapa);
3. Perspectivas sobre o Programa de Sementes Crioulas (Governo da Paraíba);
Debate



12h – Almoço



14h - Oficina 1: Atualização sobre o avanço dos transgênicos e estratégias de Resistencia nos Territórios da ASA Paraíba. Local: Comunidade Pedra D’água dos Martins, São Vicente do Seridó.


Oficina 2: Papel das pesquisas no resgate das sementes da paixão e proteção contra avanços dos transgênicos. Local: Soledade

Oficina 3: Ameaça dos transgênicos para criação animal. Local: Soledade)

Oficina 4: O papel dos bancos comunitários de sementes na conservação do patrimônio genético e no enfrentamento à contaminação dos transgênicos.Comunidade Capoeiras e Coalhada. Local: Cubati


Oficina 5: As sementes da paixão e a comida de verdade no campo e na cidade

Experiência da Escola Municipal de Soledade e CENEP. Local: Escola de Soledade 
(todxs os participantes dessa oficina deverá usar calça e no caso das mulheres, saia longa, em cumprimento as normas da escola)


18h – Jantar

19h – Noite Cultural e Feira de Sementes da Paixão 
Teatro – Atuais hábitos alimentares (Grupo Caras e Bocas);

- Falas sobre a comida de verdade;
- Continuidade da Feira de Sementes;
- Barraca de realização de testes de transgenia e emissão de certificado livre de transgênicos



07 de agosto, sexta-feira:



8h – Acolhida das Caravanas



9h10 – Caminhada



11h - Plenária de Encerramento e Afirmações de Compromissos



Falas políticas: Agricultor e Agricultora, CONSEA; ASA Brasil, Embrapa, Gestores públicos (Governo do Estado); ASA Paraíba.
13h - Encerramento



Agricultora Betânia, de Pedra Lavrada convida para Feira Regional em CG


Agricultora de Soledade, Rose convida para Feira Regional em CG


Feira Agroecológica na Praça da Bandeira celebrará Semana dos Orgânicos em Campina Grande-PB


A Comissão Estadual de Produção Orgânica – CPOrg-PB e o Grupo de Trabalho – GT de Comercialização da Articulação do Semiárido Paraibano – ASA Paraíba, realizarão, no dia 30 de maio, das 7h às 11h30, na Praça da Bandeira, em Campina Grande, mais uma edição da Feira Regional de Produtos Agroecológicos. A data do evento é alusiva a Semana Nacional dos Orgânicos, celebrada entre os dias 26 de maio a 01 de junho.



Assim como em 2018, a Feira terá como tema “Por um São João Livre de Transgênicos e Agrotóxicos” pela proximidade com as festas juninas na terra do “Maior São João do Mundo” quando aumenta consideravelmente a procura por produtos derivados do milho. Estarão na Praça cerca de 60 feirantes vindos de 25 municípios das regiões Médio Sertão, Agreste, Cariri Oriental e Ocidental, Seridó, Curimataú e Borborema, onde já ocorrem feiras agroecológicas periódicas.

Estarão montadas 30 barracas com a comercialização e degustação de uma diversidade de hortaliças, frutas, mel, leite, ovos e produtos beneficiados da agricultura familiar de base agroecológica, como queijo, bolos, polpas, doces e biscoitos além das tradicionais comidas de milho, pamonha, canjica, mungunzá e xerém. Haverá ainda apresentações culturais, distribuição de materiais educativos e demonstração de como é feito o teste de transgenia nas sementes de milho.

A semana dos orgânicos é promovida a nível nacional desde 2005 pelas CPOrg’s com apoio do Ministério de Agropecuária e Abastecimento – MAPA, dentro da Campanha “Produto Orgânico melhor para a vida”, que tem como objetivo o esclarecimento dos consumidores sobre o que são os produtos orgânicos, fazendo uma abordagem sobre os benefícios ambientais, sociais e nutricionais desses produtos, estimulando o seu consumo.

A Comissão Estadual de Produção Orgânica (CPOrg), é formada por representantes de segmentos da rede de produção orgânica da Paraíba e entidades governamentais e não governamentais. Já a Articulação do Semiárido Paraibano é uma rede de entidades de promoção da agricultura familiar organizada em sete microrregiões da Paraíba e ligada a Articulação do Semiárido Brasileiro, organizada em 11 estados do Semiárido.

São parceiros da realização da feira o Núcleo de Extensão Rural em Agroecologia da Universidade Estadual da Paraíba (NERA-UEPB), o Centro Vocacional Tecnológico de Agroecologia e Produção Orgânica: Agrobiodiversidade do Semiárido (CVT) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

14 de maio de 2019

Rede de Sementes da Asa Paraíba realiza atividades preparatórias para a 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão


A Rede de Sementes da Articulação do Semiárido Paraibano (Asa Paraíba) está em pleno processo de preparação para a realização da 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão, que se realizará nos dias 5,6 e 7 de junho, no território do Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar, área de atuação da entidade de assessoria – Patac.


O município escolhido para sedear a festa é Soledade, que receberá caravanas de agricultores e agricultoras experimentadores vindas dos diversos territórios que compõem a Asa Paraíba.

O processo de formação e preparação da festa está no âmbito territorial e vários momentos, em rede, já foram partilhados nas últimas semanas. No último dia (30) de abril, aconteceu em Soledade, uma reunião com toda a Rede de Sementes da Paraíba para que fossem definidas as comissões de organização da festa (Metodologia, Infraestrutura, Mística, Comunicação e Finanças), aqui também foram definidas a identidade visual e o tema: ‘Comunidades guardiãs: Protegendo a Biodiversidade e Garantindo Alimentação Saudável’.

Já no dia (07) de maio, a rede teve um importante momento onde foram discutidas pautas, na perspectiva da construção de uma Política Estadual das Sementes da Paixão, com representantes do Governo do Estado, das Secretarias de Desenvolvimento da Agropecuária e Pesca- Sedap e da Secretaria da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido.

E na próxima quinta-feira, dia (16) o Coletivo e Patac, realizará também em Soledade, na casa de eventos ‘Celebrar’, mais um dia de formação, desta vez para lideranças agricultoras específicas deste território.

A 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão irá refletir sobre os grandes desafios para conservar as sementes crioulas diante dos repetidos períodos de estiagem, os perigos das contaminações por agrotóxicos e transgênicos, e também sobre a construção de uma Política Estadual das Sementes da Paixão. O evento terá uma grande Feira da Agricultura Familiar aberta ao público durante os três dias. No segundo dia (06), acontecerá os momentos de reflexão e formação para as mais de 200 pessoas convidadas e no último, dia (07), um grande ato público será realizado com uma caminhada pelas ruas de Soledade.




12 de abril de 2019

Famílias agricultoras de Juazeirinho realizam atividade de reflexão sobre transgenia e iniciam processo de formação para a 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão


A comissão municipal de Juazeirinho-PB, se reuniu na última quarta-feira (10), pela manhã, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) para um momento de formação. O tema trabalhado foi a questão das Sementes da Paixão, trazendo para o debate: Missões das Sementes realizadas no território, gestão dos Bancos Comunitários de Sementes (BSC) e com muita ênfase, a questão da transgenia. Cerca de 15 agriculturas e agricultores, jovens e adultos contribuíram com esse momento.

A atividade foi conduzida pelo Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar e pela entidade de Assessoria Patac. Os participantes foram divididos em grupos de trabalho para destacar ‘Avanços’ e ‘Desafios’ das Sementes Crioulas no território do Cariri, Seridó e Curimatau. 


Como avanços os grupos indicaram: Fundos Rotativos Solidários (FRS), reflorestamento da Caatinga, trocas solidárias através dos mutirões, diversificação dos plantios e estoques dos bancos de sementes, valorização das sementes animais, considerando-as Sementes da Paixão e o fortalecimento dos Bancos de Sementes a partir da execução do Projeto Sementes do Semiárido.

Como desafios apareceram as seguintes questões: Ameaça dos transgênicos, falta de compromisso de algumas pessoas com a causa, compra de sementes com desconhecimento da sua origem, falta de preocupação com o solo e o uso de veneno nas lavouras.

O momento seguinte teve a exibição do Vídeo “Não Planto Transgênicos para não Apagar minha História” e em seguida, foi realizado um debate sobre a contaminação crescente no território. Nesse sentido foram tirados alguns encaminhamentos de como  se pode criar barreiras de proteção para impedir que a contaminação avance, como por exemplo: Fortalecer as cercas vivas dos agroecossistemas; reservar cópias de segurança das sementes livres da transgenia; não comprar sementes no mercado; evitar plantar milho em divisa de roçados ou perto de estradas; não produzir alimentos com as sementes que foram contaminadas e realizar reuniões comunitárias para debater essa temática do avanço dos transgênicos.

Esse encontro também já faz parte do processo preparatório da 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão, que se realizará de 5 a 7 de junho, na cidade de Soledade -PB, onde todas as comunidades do Coletivo deverão participar deste momento de celebração e resistência em defesa das Sementes Crioulas. Cada liderança presente se comprometeu em animar o processo preparatório da 8ª FESP com as demais pessoas das comunidades. 
A preservação das Sementes livres de transgênicos está Intrinsecamente ligada a ‘Segurança e a Soberania Alimentar e Nutricional’ das famílias agricultoras, mas também de toda a população, rural e urbana.

Ato público, diversidade cultural e Carta Política caracterizaram o encerramento da 8ª Festa Estadual das Sementes da Paixão

De forma festiva e através de diversas expressões populares (Ato Público, apresentações culturais e reflexões políticas) a 8ª Festa E...