19 de setembro de 2014

Facilitadores dos programas P1MC e P1+2 participam de encontro sobre os processos de capacitação das Famílias Agricultoras na região do Coletivo

Facilitadores e Animadores do P1MC e P1+2
Nesta última quinta-feira (18), cerca de 30 pessoas, entre animadores, facilitadores e coordenadores dos Programas Uma Terra e Duas Águas (P1+2) e Um Milhão de Cisternas (P1MC), reuniram-se na comunidade Caiana, município de Soledade/PB, com o objetivo de avaliar os processos de formação comunitária desenvolvidos no território de atuação do Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar do Cariri, Curimataú e Seridó Paraibano em parceria com o PATAC e CENTRAC.

No desenvolvimento das ações da Articulação do Semiárido (ASA), as famílias agricultoras que acessam as tecnologias sociais dos programas P1MC e P1+2, participam de três cursos: Gerenciamento de Recursos Hídricos (GRH), Gestão de Água para Gestão de Alimentos (GAPA) e Sistema Simplificado de Manejo de Água para a Produção (SISMA).

Durante a realização dos cursos as famílias desenvolvem práticas de produção agroecológicas, atividades em mutirões, além de aprofundar seus conhecimentos sobre agricultura, relações de gênero, política e sociedade.

Segundo Alex Barbosa, coordenador do Coletivo Regional e animador do P1+2 “o encontro buscou desenvolver uma metodologia participativa durante as formações onde os agricultores/as compreendam melhor o seu papel na agricultura familiar e nesse processo pra convivência com o semiárido, assimilando os conteúdos sobre o cuidado e uso da água, o manejo produtivo, a relação e divisão sexual de trabalho, na construção da agroecologia nesse território”, afirmou ele.

Em maio, deste ano, aconteceu a primeira etapa desse processo de formação. Este é o segundo momento do grupo, junto às famílias da região. “O evento está sendo muito rico, estamos partilhando as experiências vividas e afinando o diálogo junto às equipes. Um momento construtivo, onde avaliamos o que já avançamos e o que ainda precisamos avançar”, fala Rosimare Alves, liderança comunitária e facilitadora de GAPA, SISMA e GRH, durante a atividade.

Ao fim do encontro foram tirados alguns encaminhamos que devem contribuir para a continuidade do processo formativo das equipes, fortalecendo cada vez mais o trabalho desenvolvido na região, como por exemplo: uma agenda contínua de formação do grupo, alternativas para aperfeiçoar a comunicação entre os integrantes da equipe e sugestões para estimular os momentos de planejamento e preparação das atividades de capacitação.


Patrícia Ribeiro
Comunicadora Popular
Articulação do Semiárido (ASA)
Patac

Nenhum comentário:

Postar um comentário