25 de junho de 2015

Juventude do Semiárido Paraibano participa de formação sobre Cinema


No clima do São João e relembrando cenas do filme Alto da Compadecida, de Guel Arraes, jovens do Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú Paraibano participam do curso de formação Narrativas e Linguagem Audiovisuais realizado pelo Cinema Nosso, na comunidade Canoa de Dentro, município de Pedra Lavrada.


Mesmo nesse período dos festejos juninos, quando a maioria dos jovens está em recesso escolar, a motivação e interesse de todos pelo curso é evidente. São cerca de 30 jovens envolvidos nas atividades de formação sobre a teoria e a prática da arte do cinema.


Segundo Luis Carlos Nascimento, do Cinema Nosso, a ideia do curso surgiu em 2003, quando a equipe esteve aqui na região para produzir um filme sobre as experiências sócio ambientais financiadas pela Petrobrás. “Naquele momento conhecemos a comunidade, a casa de beneficiamento, conversamos com o pessoal do Patac sobre os dilemas da juventude desse território e pensamos que talvez fosse interessante ter uma experiência de audiovisual que pudesse se transformar numa ferramenta para contribuir com o processo de auto organização desses jovens”, disse Luis.



Ao longo da semana os jovens participaram de momentos de estudo sobre a história do cinema brasileiro e iniciaram a produção do curta que será exibido para a comunidade dia 27, próximo sábado. A história e roteiro foram criados pelos próprios jovens, que se basearam na realidade local e na cultura camponesa do semiárido.

A equipe do Cinema Nosso se surpreendeu com a postura de engajamento dos jovens que estão participando do curso. “Apesar da pouca idade, eles são muito politizados e participam ativamente dos processos da comunidade, isso reflete a atmosfera do que é e do que foi o cinema brasileiro, da coletividade, da troca, da parceria e da união por um propósito e sobretudo o que mais toca é o cuidado e o carinho com a memória do local”, afirmou Luis.

O desafio é que o GT (grupo de trabalho) da Juventude possa dar continuidade às sessões de cinema periodicamente na comunidade. “A sensação que eu tenho aqui é de estar trabalhando com um grupo que está muito afinado, que já se conhece e que não tem dificuldade de acolher pessoas de fora e de trabalhar na construção de uma coisa interessante que vai ficar na comunidade, que vai ficar pra eles”, conclui Luis.


O Cinema Nosso é uma escola de formação de cinema, que foi criada em 2000, pelos jovens que participaram do processo de formação do elenco do filme “Cidade de Deus”, de Fernando Meirelles e Kátia Lund. Está situada no Rio de Janeiro, onde desenvolve atividades gratuitas de formação com jovens e trabalha em defesa da democratização do audiovisual no Brasil.


Além do Coletivo Regional, jovens de outras organizações parceiras, como o Núcleo de Estudos Rurais em Agroecologia (NERA), o Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS) e a Associação dos Apicultores do Sertão Paraibano (ASPA), também participam da formação.

O curso, realizado pela turma do Cinema Nosso, conta com o apoio da ONG Patac, do Coletivo Regional e com o patrocínio da Petrobrás e está sendo realizado em duas etapas. Próxima semana será a vez dos jovens da região em torno da comunidade Sussuarana no município de Juazeirinho, PB.



Sessão de cinema no campo

Dentro da programação da semana de formação com os jovens, estão sendo realizadas sessões de cinema abertas para toda a comunidade.

Na noite de quarta-feira (24), foi a primeira sessão, que aconteceu na igreja da comunidade. A sessão reuniu mais de 50 pessoas da comunidade Canoa de Dentro, e de comunidades vizinhas que assistiram ao filme “O resgate do Pavão Misterioso”, de Silvio Toledo.

A igreja ficou super lotada, enquanto agricultores e agricultoras, adultos, idosos e crianças se divertiam com o filme, também comiam pipoca no escurinho do cinema da igreja.

Hoje à noite, será a próxima sessão de cinema, na capela, com exibição de alguns curta metragens. A população já está sendo convidada através da rádio comunitária RCL 87.9, a rádio local.

A ideia está dando tão certo, que todos estão animados para dar continuidade as sessões de forma periódica. O objetivo é que todos possam ter o direito de vivenciar os momentos especiais das salas de cinema, como acontecia antigamente, e que hoje é reduzido a um número limitado de pessoas nas grandes cidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário