22 de setembro de 2015

Famílias Agricultoras comemoram 1º aniversário das Feiras Agroecológicas da região do Cariri, Seridó e Curimataú

Produzir alimentos saudáveis, sem o uso de agrotóxicos, no quintal de casa e em convivência com o fenômeno de estiagem que atinge a região do Semiárido, tem sido o desafio das famílias que vivem da agricultura familiar que tem como base a Agroecologia. É nesta perspectiva que as famílias agricultoras do território do Cariri, Seridó e Curimataú buscam com muita resistência, incentivar o consumo desses alimentos e a promoção da qualidade de vida e da segurança alimentar e nutricional das famílias da região.

Para tanto, realizam 4 feiras da agricultura familiar  nos municípios de Soledade, Tenório, Juazeirinho e Cubatí e para comemorar o aniversário de um 1 ano da comercialização do excedente da produção e do consumo desses alimentos, celebrarão no próximo dia 23 (quarta-feira),  em Soledade,  um grande encontro que reunirá as famílias da  região, consumidores e  parceiros para comemorar este momento. O evento conta com a realização do Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar em parceria com a entidade de assessoria técnica e sócio-organizativa Patac. Também será comemorado os 7 anos da Bodega Agroecológica do Coletivo, primeiro espaço de comercialização desses produtos neste território.

Uma grande feira será montada na Praça José de Melo, no centro de Soledade, a partir das 6h, onde as pessoas poderão encontrar: Hortaliças, doces, bolos, polpas de frutas da região, galinha de capoeira, ovos, massas de milho (fuba e farinha), queijos, salgados integral, manteiga da terra, tapioca, mudas, artesanato, dentre outros produtos da agricultura familiar. O evento também contará com apresentações culturais e uma rádio interativa, e será finalizado com a partilha de um grande bolo, produzido pelas mulheres agricultoras da região que será degustado pelos participantes.

Segundo a agricultora, Maria Betânia Buriti, do município de Pedra Lavrada, esse momento de comemoração representa a valorização dos agricultores e agricultoras e está mostrando uma realidade diferente do que normalmente a mídia e outros setores da sociedade retratam sobre o Semiárido, que são informações pessimistas e imagens de um cenário de morte, seco e sem produção. “Comemorar a realização das feiras é reafirmar que as famílias agricultoras têm garantido a produção para o consumo familiar e comercialização, prezando pela sua soberania, segurança e qualidade, mesmo diante de grandes ameaças e desafios”.


A produção de alimentos saudáveis no quintal de casa é uma política de convivência incentivada pela a Articulação Semiárido Brasileiro (Asa Brasil) e Articulação do Semiárido Paraibano (Asa PB) através dos programas de acesso água, Programa 1 Milhão de Cisternas (P1MC) e Programa uma Terra e Duas Águas (P1+2), ambos prevê a construção de cisternas e implementações (Barragens, Cisternas-Calçadão, Cisternas de Enxurradas, Barreiros Trincheiras, etc.) para capitação de água de beber e para produzir, respectivamente, estimulado por um processo de formação sociopolítico realizado com as famílias. Neste território cerca de 7 mil famílias já foram apoiadas com essas tecnologias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário