20 de maio de 2015

Coletivo e Patac lançam projeto ‘Sementes do Semiárido’ no território do Cariri

Foto: Simone Benevides
O Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar e a entidade de assessoria técnica e sócio-organizativa (Patac) da Rede de Articulação do Semiárido Brasileiro/Paraibano (ASA Brasil e ASA PB) lançarão na próxima sexta-feira, 22, o Projeto ‘Sementes do Semiárido’, na cidade de Soledade, na Câmara de Vereadores, a partir das 14h.   
A conservação e o uso sustentável da biodiversidade tem sido uma estratégia fundamental para a garantia da segurança e soberania alimentar das populações que vivem no Semiárido brasileiro. Ao longo da história as famílias vêm sendo desafiadas a manterem seus sistemas produtivos e a partir de suas experiências, estão sendo reconhecidas pelo importante papel enquanto guardiãs das sementes crioulas, carinhosamente chamadas na Paraíba de Sementes da Paixão, sejam sementes de origem vegetal ou animal, incluindo aqui também, o patrimônio histórico e cultural.
Com o intuito de fortalecer e dar visibilidade a todas essas iniciativas existentes, assim como identificar e possibilitar o surgimento de novas experiências espalhadas por todo o semiárido, a ASA Brasil em parceria com o Governo Federal, através dos Ministérios do Desenvolvimento Social e Desenvolvimento Agrário (MDS / MDA) e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS) lançou o Programa Manejo da Agrobiodiversidade ( Sementes do Semiárido).
O ‘Sementes do Semiárido’ é um projeto governamental pioneiro na história das Sementes Crioulas no Brasil. Sua aprovação e constituição se deram através de muitos esforços dos agricultores e agricultoras do Semiárido Brasileiro em conservar o patrimônio genético das sementes guardadas pelos seus avós e seus pais, ação que marcou toda a história do campesinato.
As casas e bancos comunitários de sementes não se realizam apenas com infraestrutura, precisam, sobretudo, de estoque local de sementes, além de propiciar vários momentos de formação com as famílias guardiãs e  fortalecer a autogestão comunitária das sementes .Uma das principais ações do projeto  será permitir as comunidades estocar a maior quantidade de Sementes da Paixão, priorizando identificar e mobilizar os estoques nos bancos familiares.
Serão trabalhados no Semiárido, 640 bancos comunitários de sementes, destes, 64 estão na Paraíba, 22 no Território do Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar do Cariri, Curimataú e Seridó. Em todo o Semiárido, 12 mil famílias agricultoras serão apoiadas com essas ações. 

Um comentário:

  1. BUSCO HÁ ALGUNS ANOS, RESGATAR A SEMENTE DO "FEIJÃO AZUL" TIPO "ARRANCA" OU AINDA, TIPO "GORDO" (COMO CONHECIDO POPULARMENTE), QUE FOI "PERDIDA" NESSES LONGOS PERÍODOS DE SECAS... AGRADEÇO A AJUDA!

    ResponderExcluir