22 de julho de 2014

Asa PB entrega documento ao Governo do Estado propondo construção de política de convivência com o Semiárido

Representantes da Articulação do Semiárido Paraibano (ASA-PB) apresentaram ao Governo do Estado, na última sexta-feira, 18, na Granja Santana, em João Pessoa, um documento com propostas para construção de uma política estadual de convivência com o Semiárido. Dois eixos norteiam o documento, o primeiro estabelece a criação de uma política de resgate, preservação e valorização da agrobiodiversidade camponesa, fortalecendo todo um trabalho existente junto à rede de bancos de sementes na Paraíba, além de discutir o papel da pesquisa e organizações do estado no resgate e preservação de sementes, plantas forrageiras e raças de animais nativos e adaptados.
  O segundo ponto do documento, sugere ao Poder Executivo dar  continuidade a política de manejo sustentável dos recursos hídricos, prosseguindo a construção de mais cisternas de placas, e outras tecnologias adaptadas para produção de alimentos, como barragens subterrâneas, cisterna calçadão e enxurradas, barreiros trincheiras, limpeza e recuperação dos pequenos reservatórios e mais investimentos em pesquisas de uso sustentável da água.
A ocasião também teve por objetivo buscar  a consolidação de uma canal de diálogo  permanente, entre Sociedade Civil e Governo na perspectiva da efetivação de uma política  de convivência com o Semiárido. 
Durante a audiência, os representantes da ASA-PB destacaram a importância dessa parceria o que possibilitou a construção e instalação de 4.553 cisternas de água para o consumo humano nos municípios paraibanos. Como fruto do diálogo, as entidades que compõe a Articulação Semiárido Paraibano e representantes da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano discutiram novas parcerias para o desenvolvimento com sustentabilidade nas áreas de recursos hídricos e valorização da política de sementes.
O representante da Rede Água na Paraíba e também membro da coordenação de projetos da ONG PATAC, Antônio Carlos Pires, destacou a importância desse diálogo e disse que “políticas públicas só se constroem quando é possível dialogar com Governos e Sociedade Civil, numa atuação coletiva de forças, esperamos que esse encontro tenha servido para fortalecer esse entendimento”.
Novos editais já foram lançados, com cerca de R$ 70 milhões (recursos do Ministério do Desenvolvimento Social - MDS) para ampliação das cisternas e a continuidade do processo de formação, para a geração de água para o consumo humano e para a produção de alimentos, o que está previsto para  se concretizar nos próximos anos.
A Articulação Semiárido Brasileiro e Paraibano (ASA) valoriza políticas de convivência com Semiárido e busca fortalecer a agricultura familiar com base agroecológica na construção de uma atuação autônoma dos camponeses em suas regiões de origem. Para tanto, as mais de 300 organizações que compõe esse grande fórum, desenvolvem trabalhos em redes (água e sementes) para garantir uma melhor qualidade de vida no campo.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário