10 de novembro de 2014

A beleza e a alegria da troca de riquezas na Feira dos Guardiões e Guardiãs das Sementes da Paixão

Como parte da programação da VI Festa Regional das Sementes da Paixão, realizada dia 06 de novembro, na Comunidade São Félix, município de Santo André (PB), a Feira dos Guardiões e Guardiãs das Sementes da Paixão foi um dos espaços da festa, onde as famílias guardiãs da biodiversidade puderam expor e trocar suas experiências, sementes, plantas e produtos.

Atualmente as feiras agroecológicas da agricultura familiar na região do Coletivo Regional do Cariri, Curimataú e Seridó, têm sido mais um espaço estratégico de divulgação, comercialização e fortalecimento das ações da agricultura familiar camponesa no semiárido paraibano. Atualmente são realizadas mensalmente três feiras na região de atuação do Coletivo Regional.

Durante a Feira dos Guardiões e Guardiãs, além das trocas e doações de sementes, plantas, frutas e produtos, uma das especiarias mais procuradas foi o conhecimento das experiências de agricultores e agricultoras. Técnicas e experimentações de conservação, plantio, defensivos, enxertos, plantas medicinais, remédios, receitas, alimentos, de tudo se tinha um pouco.

Um pouco antes do encerramento da programação da festa, o agricultor Carlos, do município de Tenório, encontrou com a agricultora Dona Adailde, da comunidade Caiçara, município de Soledade, e perguntou: “Como a gente faz pra trocar esse seu feijão no feijão preto?”. No mesmo instante, Dona Adailde olhou pra ele, sorriu e apenas disse: “Pode levar! Não precisa me dar nada em troca, eu estou doando esse feijão pra você”.

Observando a cena, o agricultor Francisco, do município de Pocinhos, comentou: “A gente tem essa semente no nosso Banco de Sementes e a gente usa essa prática há muito tempo. Sempre é um prazer poder contribuir com quem não tem ainda”. Seu Francisco, logo em seguida, completa o recado nos doando um pouco de seu conhecimento: “A gente nunca planta todas as sementes que a gente tem guardada de uma vez, sempre deixa uma parte das sementes pra o ano que vem, porque se você plantar toda a semente que tem você corre o risco de um momento ou outro perder toda a semente. Então, plante a metade e guarde a metade, eu aconselho a fazer assim”.

Dona Socorro, agricultora experimentadora do município de Soledade (PB) também participou da festa e levou para a Feira das Sementes da Paixão algumas amostras de suas Paixões. Muito entusiasmada e com um grande sorriso no rosto, ela contou: “Eu trouxe as minhas sementes da paixão: o coentro, o quiabo, a alface, a melancia e o jerimum, que eu planto na minha horta. Também trouxe meu milho Jaboatão, o feijão Garanjão e o Moita Graúdo, que é um feijão bem grande”.

A agricultora disse que desde 2005, quando aconteceu a primeira Festa Regional das Sementes da Paixão, no município de Gurjão, sempre esteve presente em todas: “Pra mim as Sementes da Paixão é uma festa na minha vida, desde que eu comecei a participar dessas reuniões, melhorou minha vida em 100%, porque eu só vivia amoitada com medo de gente, e agora eu não tenho medo mais”.

Além das barracas dos municípios Santo André, Juazeirinho, Gurjão, Soledade, Pocinhos, São João do Cariri, Pedra Lavrada, Tenório, Cubati, Olivedos e Seridó, montadas na feira, encontramos também a barraca da Bodega Agroecológica, o espaço de comercialização dos produtos das famílias agricultoras do Coletivo Regional, situada na cidade de Soledade.

Durante a feira o agricultor e apicultor Aldo, do município Santo André, fez uma apresentação dos equipamentos e técnicas de coleta do mel produzido pelas abelhas. Ao final da sua fala Aldo ainda explicou alguns motivos para não destruir colméias, nem matar abelhas, falando sobre a importância do trabalho desses animais para a polinização das plantas e finalizou: “A abelha não faz mal, ela faz mel!”

Vinda do município de Cubati (PB), a agricultora Vitória disse estar muito feliz por participar mais uma vez da Festa das Sementes da Paixão. Ela aproveitou o momento da feira para trocar algumas de suas sementes: “Eu trouxe várias sementes pra trocar com outras sementes da paixão e troquei o milho que a gente trouxe pelo milho Jaboatão, o feijão coruja pelo feijão azul, e outras. Sempre é bom ter essas trocas, porque às vezes a gente perde uma semente e pode encontrar ela de novo com outra família”.

 Vitória ainda comentou que deseja muito que a próxima Festa Regional das Sementes da Paixão seja realizada no município de Cubati: “Eu já falei, eu quero que a próxima Festa seja em Cubati. Eu até já posso ver o local onde dá pra ela acontecer”. Como Vitória, muitos agricultores e agricultoras voltaram pra suas casas com o sentimento de alegria, realização, e com a expectativa pela realização da Festa Estadual das Sementes da Paixão, prevista para acontecer em 2015.


Por Patrícia Ribeiro
06/11/2014 - Santo André / PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário