25 de novembro de 2015

Escola Rural de Soledade recebe cisterna de jovem estudante de João Pessoa

“Uma cisterna no Semiárido não é uma mera construção, mas, uma cisterna no Semiárido é cheia de significados, por que água é vida e representa dignidade”. Foi com essas palavras que o Coordenador do Patac, Waldir Cordeiro, tentou descrever a emoção sentida pela comunidade Caiçara de Soledade, apoiada com a construção de uma cisterna de água de beber, através da ação da adolescente Camila Cristina Xavier Baptista, que abriu mão dos seus presentes da festa de 15 anos e pediu para que os convidados fizessem uma doação, em espécie, durante ofertório da missa solene do seu aniversário para que o recurso fosse utilizado para a construção de uma cisterna na Escola Municipal Januário Gonçalves da Silva, na zona rural do município.

Waldir também destacou a importância política de uma cisterna no Semiárido “Nessa estiagem, o Semiárido vive outra realidade. Depois que os Programa da Articulação do Semiárido, Programa 1 Milhão de Cisternas (P1MC) e Programa uma Terra e Duas Águas (P1+2), passaram a ser executados, nenhuma criança morreu em decorrência da qualidade da água e os índices de doenças que eram comuns ao Nordeste e a regiões semiáridas, em períodos como este que estamos passando, deixaram de ser registrados. Aqui na nossa região ‘água’ sempre foi moeda de troca por votos, mas depois que organizações como o Patac e outras que estão espelhadas pelo Semiárido na rede ASA surgiram, mostraram aos governos, e a sociedade que outro modelo de Semiárido é possível, através do acesso  a água de qualidade e da produção de alimentos saudáveis”.

Ele também destacou a importância do trabalho e da construção de Naidson (avô de Camila) na ASA, e o grande exemplo que ele está deixando para a família “Camila, agora você entende a dimensão e a importância do trabalho que seu avô defende. Você, nesse momento, compreende os sentimentos dele”.

A solenidade de entrega da tecnologia aconteceu na manhã do último sábado, 21, onde também estiveram presentes Familiares e amigos da jovem Camila, pais e mães dos alunos, representantes do Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar e da Associação de Moradores da comunidade.

O momento foi de alegria e de depoimentos emocionados. Para o menino Wesley Cardoso dos Santos,  aluno do 5° ano do ensino fundamental, a iniciativa de Camila é um grande exemplo para todos os jovens da idade dela, mas também para os adultos que, segundo ele, não se preocupam com os outros e só pensam em si mesmo.

“Camila nos deu um grande exemplo, ela mostrou que se preocupa com os outros, pois a maioria das pessoas só se preocupa com elas mesmas, a atitude dela vai ficar na nossa memória. Nós já chegamos a ficar três dias sem aula, por que só tínhamos uma cisterna que não dava conta de toda a escola e isso agora não vai mais acontecer. Ano que vem eu não vou mais estudar aqui, mas meus primos e amigos  continuarão e essa atitude dela vai beneficiar a todos/as os futuros alunos/as, ela provou que é uma pessoa de bom coração”, disse o menino.

A professora Maria Helena de Sales disse que a atitude da jovem não é comum as pessoas da idade dela, principalmente no atual contexto social em que vivemos “Enquanto a gente vê tantos jovens que não se importa com as outras pessoas, que vivem num mundo fechado e particular, ela vem nos dá esse exemplo, de que nem tudo está perdido nessa geração, ela é um grande exemplo. Trabalho aqui há 8 anos e nunca pensei de passar por um momento tão emocionante,  água é vida e Camila fez doação de vida a esta comunidade”.

O momento foi encerrado com apresentações musicais realizadas pelas crianças e antes de todas as falas um lanche coletivo foi servido aos  presentes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário